As tabelas de competências mexem-me com os nervos!

Estandardizar comportamentos, então, nem se fala! E ouvir a célebre frase “está muito atrasado!”, nem queira saber! A maioria das vezes só me apetece responder, atrasado para quê, para apanhar o comboio? As crianças são diferentes, têm ritmos diferentes, experiências diferentes, apetências diferentes… achar que uma criança está mais adiantada ou é mais do que outra, só porque conseguiu fazer algo mais depressa, é um erro que quase toda a gente comete!

Claro que há padrões, claro que há metas que devem ser alcançadas, sob pena de se passar alguma coisa à qual deve ser dada especial atenção, MAS… temos que ter calma! Aos seis meses não se sentar é perfeitamente normal e aos sete também, com um ano já deve ser analisado! Ao fazer um ano não tem logo que andar, para quê tanta pressa! Conheci uma criança que só começou a andar aos 18 meses e era perfeitamente normal, tão normal que aos três anos aprendeu a andar de bicicleta sem rodinhas! Sim, com apenas três anos!

Sei bem que a sociedade exige tudo desde muito cedo, mas podemos ajustar as exigências! E também podemos deixar de comentar e meter o nariz em tudo. Esta também é para mim, que meto muito! 🙂

Quantas vezes já ouviu coisas do tipo, “ah, a criança está atrasada”? E já disse? Vá, confesse?

Gostou do texto? Então partilhe! 🙂

*Beijinhos*

Sofia

Nota 1: o Facebook alterou o algoritmo e a partir de agora vai mostrar mais posts dos amigos e menos das páginas que seguimos. Para continuar a saber dos nossos posts basta ir aqui à nossa página, clicar em gosto e depois, onde diz “A Seguir”, seleccionar “Ver Primeiro”

Nota 2: Outra opção é adicionarem-se ao grupo do blogue Pedaços de Nós (podem fazê-lo aqui)! Esta está foi a solução encontrada para que as nossas leitoras não percam pitada. Neste espaço partilharemos apenas os posts que normalmente são partilhados na página, por isso vão lá e adicionem-se!  🙂

Siga-nos também no Instagram —> @sofiasalgadomota

5 thoughts on “As tabelas de competências mexem-me com os nervos!

  1. […] Standardizar comportamentos então, nem se fala! E ouvir a célebre “está muito atrasado!”, nem queira saber! A maioria das vezes só me apetece responder, atrasado para quê, para apanhar o comboio? As crianças são diferentes, tem ritmos diferentes, experiências diferentes, apetências diferentes… achar que uma criança está mais adiantada ou é mais do que outra -> … Ver artigo completo no Blog […]

  2. Cristina says:

    É exactamente isso que penso. As pessoas têm muita mania de fazer comparações, parece que os filhos têm que estar sempre em competição, esquecem-se que não somos todos iguais e que tanto a nível motor como intelectual cada criança tem as suas características.
    Como alguém disse: “Somos todos geniais. Mas se você julgar um peixe pela sua capacidade de subir às árvores, ele passará a vida inteira acreditando ser estúpido”.

    1. sofiasalgadomota says:

      É mesmo isso, temos que nos focar sempre naquilo que a criança consegue! 🙂
      Beijinho

  3. Carina Carvalho says:

    Estou a comentar um post pela primeira vez…por realmente este tema mexe muito comigo. Mexe comigo porque sou professora e mexe comigo porque sou mãe de uma filha um pouco mais velha que a Carlota mas que começou a andar com… 21 meses!
    A pressão que fui sentindo pela sociedade era atroz! A pergunta “Ainda não caminha?” tirava-me o sono e foram meses assim!
    Até que, aos 18 meses, disse ao pediatra que estava farta e queria saber o que se passava com a minha filha! Ainda que contrariado, o pediatra prescreveu um raio~x que logo fui fazer.
    Espanto geral! O resultado indicava que a minha filha tinha displasia total da anca! Chorei,chorei, insultei o pediatra e voltei a chorar!
    Chorei dias a fio…
    Até que um especialista em ortopedia e amigo pessoal do pediatra, olhou para o raio-x e disse (nunca esquecerei estas palavras): A sua filha está ótima e vai caminhar quando quiser. Este exame foi mal feito. A menina mexeu-se e não tiveram isso em conta ao elaborar o relatório!

    De facto, no dia 21 de julho, dia em que comemorava 21 meses, a minha filha veio até mim!
    Desculpe a extensão só comentário, mas senti vontade de comentar e mostrar que não faz ter um ritmo diferente!

    1. sofiasalgadomota says:

      Oh, realmente deve ter sido uma situação complicada! Mas já passou e está tudo bem! 🙂
      Beijinho grande

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *